segunda-feira, 23 de abril de 2012

O vacilo da Cobra Coral





O VACILO DA COBRA CORAL

Clóvis Campêlo

Ontem, em Salgueiro, contra o time homônimo, perdemos a nossa segunda partida seguida no Campeonato Estadual. E a derrota nos custou a perda da vantagem que ostentávamos em relação ao clube sertanejo. No próximo final de semana, no Arruda, teremos a obrigação de vencer para manter viável a possibilidade do bicampeonato.
Não sei como Zé Teodoro vai se virar para montar o ataque, com Carlinhos Bala e Dênis Marques machucados e Geílson suspenso, após a expulsão de ontem aos 38 minutos do segundo tempo. Restariam Branquinho, que, por sinal, ontem jogou bem e marcou o nosso gol, Flávio Recife e Jéferson Maranhão. Convenhamos, é pouco ataque para muita necessidade.
Uma outra questão séria e, a essa altura do campeonato, sem grandes possibilidades de correção são as saídas mais que imperfeitas do gol do paredão Tiago Cardoso. Bolas alçadas em diagonal sobre a área coral são sempre motivo de preocupações e falhas. Além da deficiência técnica demonstrada por Tiago Cardoso nessa bolas, e que deveria ter sido corrigida em treinamentos especializados ao longo do certame e desde o ano passado, temos um zagueiro de boa estatura, como Leandro Souza, mas que não ter boa impulsão. Resultado: nesse item, tomamos gols com muita facilidade para um time que cobiça o bi.
Apesar de todas as adversidades, basta-nos uma vitória simples para liquidarmos a fatura. O Salgueiro é uma equipe perigosa e que vai se precaver o necessário para manter a vantagem adquirida ontem. Mas, dentro de casa, nós é que devemos ditar as regras do jogo e assumir uma postura mais ofensiva e decidida. Time por time, acho que somos melhores em valores individuais e em disposição tática. Resta-nos comprovar isso dentro de campo derrotando o Salgueiro no próximo final de semana e partir para a decisão, não importa que o adversário seja o Náutico ou o Sport.
Talvez o acaso ou a incompetência dos outros, como já disse alguém, decida o Pernambucano atual. Pode ser. Mas essa é parte que não cabe administrar. O que temos de saber utilizar é a nossa capacidade de superação e de imposição dos nossa diretrizes. A nossa eficiência pode fazer a diferença e ser a prova dos nove, garantindo-nos o sucesso e a comemoração final.

Escrito após o jogo Salgueiro 2x1 Santa Cruz, em 22/4/2012.

Nenhum comentário: