sábado, 5 de agosto de 2017

Manual de sobrevivência entre crápulas e canalhas


MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA ENTRE CRÁPULAS E CANALHAS

Clóvis Campêlo

Meus caros amigos:

Escrevo estas mal traçadas linhas ao som de Chet Baker, Time After Time. O som me acalma a alma e o corpo. A canção não tem pressa. Nem eu. Tenho toda a manhã disponível, muito embora o sol do Recife me chame para as ruas. Difícil não atender a esse pedido, depois de meses de frio e chuva, com os quais a cidade não combina. O som do trompete em surdina domestica a manhã e invade completamente o ambiente. Relaxo e deixo o corpo pousar suavemente por sobre a cadeira da sala. Aterrissagem perfeita. Nem um lexotan me faria melhor.
Baker, americano do Oklahoma e um dos melhores trompetistas da história do jazz, faz parte do lado bom do colonialismo cultural. Se ter que ser assim, escolhamos sempre o melhor. Afinal, nem ele nem eu temos culpa das tronchuras do mundo. Suas improvisações no instrumento são calmas, precisas  e serenas. Morreu em Amsterdã, em 1988, aos 58 anos, ao cair da varanda do hotel em que estava. Até hoje se discute se a sua morte foi um acidente ou suicídio. Uma lástima, na verdade.
Time After Time é um canção que fala do amor com satisfação. É uma nave que navega em mar de tranquilidade, em dia de calmaria. Repito a dose e entro numa quase letargia. É disso que eu gosto. É disso que eu preciso.
Quanto aos crápulas e canalhas, resolvi ignorá-los. Não me fazem bem.

PS.: Minhas homenagens ao Negro Gato, que esta semana partiu em busca da grande planície, das terras de Manitu.


COMENTÁRIOS:

"Publico, às 18h30, no blog: www.robsonsampaio.com.br. A coluna Cidades Online, no sábado e, no domingo e na 2ª.-feira, Teatro da Vida/Causos – Frases – Poesias e notícias. Divulguem e mandem notas e denúncias para o e-mail: rsampaioblog@gmail.com. Abs e obg. "
Robson Sampaio, em 05/8/2017

"O som da "trompa" do Chet Baker acalma e nos adormece, é certo e pacífico, mas COMO este "frio" intenso q vc sentiu e a CHUVA, que também tranquiliza e poetiza, causou-lhe arrepios de pavor e prostração ao invés de lhe deixar entusiasmado e otimista?
E o Recife NÃO COMBINA é com o descaso e abandono do poder público, da nossa acomodação como cidadãos, com a miséria das indiferenças. A chuva NÃO atrapalha a vida e sim renova o espírito de uma cidade bem RESOLVIDA."
Aristóteles Coelho, em 05/8/2017

Nenhum comentário: